Perspectivas de ensino do Colégio Gaspar em 2021

Após um ano de remodelação no sistema de ensino em função da pandemia de coronavírus, o Colégio Gaspar Silveira Martins projeta ações de ensino intensificadas para 2021. De acordo com o diretor da instituição, Tiago Becker, o ano de 2020 vai deixar sequelas na aprendizagem e, por isso, é necessário que o foco seja na aprendizagem. “Temos um compromisso com as famílias na formação das crianças e adolescentes. Tivemos que modificar muitas coisas no sistema de ensino, temos conteúdos que precisam ser reforçados”, salienta.

O diretor ressalta que o modelo híbrido de ensino – no qual estudantes tiveram atividades presenciais e remotas –  possibilitou a continuidade na rotina de estudos, mas muitas coisas precisam ser enfatizadas no próximo ano. “Para 2021, queremos fazer mais. Dar conta do que não foi possível neste ano e contribuir para o pleno desenvolvimento dos estudantes”, afirma.

Ele destaca que a interação com outras crianças é essencial para o desenvolvimento e aprendizado dos estudantes, principalmente na Educação Infantil. “As crianças até conseguem aprender com as ferramentas, mas a escola tem a essência nas relações. Elas se desenvolvem na interação com outras”.

Para 2021, a escola vai implantar o Plano de Ação , com oficinas de apoio pedagógico para os estudantes. Serão contratados estagiários de licenciatura para ministrar oficinas no turno oposto das aulas. “Vamos elaborar as oficinas de acordo com as necessidades dos estudantes. Os estagiários passarão por treinamentos com os professores, será uma experiência muito válida pra eles também”, defende.

Neste sentido, o diretor ressalta que a avaliação dos professores para diagnosticar as principais dificuldades de cada estudante será essencial. As oficinas serão ofertadas para estudantes do Ensino Fundamental e Ensino Médio e as atividades não terão custo extra na mensalidade.

AVALIAÇÃO

Além disso, no próximo ano, também será implantado um sistema de avaliações externas. O Colégio Gaspar contratou uma empresa para aplicar provas simuladas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Básica (Saeb), plataforma que avalia o ensino da Educação Básica no país.

As avaliações serão aplicadas para estudantes das turmas do 5º e 9º ano – que são séries de finalização de etapas do ensino -, e todos os alunos do Ensino Médio. “É importante ter uma visão de fora, de acordo com os parâmetros de educação que orientam as escolas. Nossos professores sabem fazer avaliações conforme o que trabalham na sala de aula, mas queremos diagnosticar como está nosso ensino de modo geral”, complementa.

Becker acrescenta que usar como parâmetro somente o Ensino Nacional do Ensino Médio (Enem) não é o ideal, pois é preciso olhar para o processo de aprendizado de forma contínua. “É um modelo de avaliação externa que nos oferece dados sobre o desempenho de aprendizagem de cada estudante e vai auxiliar bastante a melhorar nossos processos internos”, observa.

“Não queremos fazer com que 2021 seja um ano qualquer, ele precisará ser focado na aprendizagem para superar as lacunas de 2020.”

TIAGO BECKER – Diretor

Projeto bilíngue

Outra ação que será implantada em 2021 é a ampliação das ações do projeto bilíngue. As turmas do Nível 3, 1º, 2º e 3º anos do Ensino Fundamental terão quatro períodos semanais de língua inglesa no turno oposto das aulas.

Créditos: Cassiane Rodrigues/ Folha do Mate

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *